582x0_1413305849

5 filmes para Abrir a sua Mente

Filmes têm um maravilhoso poder de contar uma história e alcançar o coração do espectador. Há aqueles filmes que fazem o público rir, outros que fazem chorar, alguns que fazem o pessoal pular da cadeira e outros que dão repulsa. O fato é que o Cinema (bem como a Arte em geral), consegue exprimir aquilo que está no interior do ser humano e que não pode ser expresso em meras palavras – aquilo que não é falado, mas pode ser visto, pode ser simbolizado. É aquela magia da catarse, da empatia e da identificação-projeção.

Cada um tem uma lista de filmes preferidos ou filmes que marcaram suas vidas. São aqueles longa-metragens que falam com a sua alma – não no sentido espiritual, mas sim de psique. Por isso, intenção da presente lista é selecionar 5 filmes (infelizmente, nenhum clássico ou filme cult no momento) que podem abrir a sua mente. “Mas como assim abrir a mente?” – Simples: filmes que podem te fazer questionar sobre o sistema vigente, sobre política ou sobre a si mesmo. Filmes que irão te fazer refletir sobre qual o real motivo de acordar todos os dias às 5 horas da manhã para fazer um trabalho o qual você não gosta. Filmes que irão te fazer questionar se essa realidade em que você vive pode ser uma farsa. Ou se todo o sistema político e econômico sob o qual estamos submetidos é uma máquina da morte e escravidão.

Enfim, chega de enrolação e vamos a nossa honorável lista dos 5 filmes para Abrir a sua Mente:

5. Poder Além da Vida (2006)

5 FIlmes para Abrir a sua Mente

Dirigido por Victor Salva (Olhos Famintos, 2001), Poder Além da Vida (Peaceful Warrior, 2006) é uma adaptação do best-seller “O Guerreiro Pacífico” de Dan Millman, um escritor norte-americano e ex-ginasta. A história do filme é bem simples: Dan Millman (Scott Mechlowicz) é um talentoso ginasta com sonhos Olímpicos que sonha com as Olimpíadas. Ele tem tudo o que um adolescente gostaria de ter: troféus, amigos, motos velozes, belas garotas e festas. Ou seja, ele tem status. Porém, mesmo tendo isso tudo Dan enfrenta um caos pessoal. Mas sua vida vira de cabeça para baixo quando conhece Sócrates (Nick Nolte), um homem estranho e misterioso capaz de entrar em contato com novos mundos de força e compreensão. Após um grave acidente, Sócrates e a jovem Joy (Amy Smart) ajudam Dan a descobrir que ainda há muito a aprender, e muito mais para deixar para trás, antes de encontrar seu destino. Assim, ele traça uma interessante jornada rumo ao autoconhecimento.

Este é o típico filme adorado pela galera da Administração, Coaching e Psicologia. Pode não ser uma obra perfeita em termos técnicos, mas consegue dar aquele “clique” na mente do espectador. Cheio de diálogos filosóficos, Poder Além da Vida é centrado na ideia do poder pessoal, isto é, de se desenvolver enquanto indivíduo e explorar seus potenciais. Incita ideias como desapego, força interior, superação e autoconhecimento.

4. V de Vingança (2005)

637695-V-de-Vingança-história-significado-saiba-mais-01

Esse é aquele filme que coloca lenha na fogueira, principalmente em tempos de constantes discussões políticas – tanto a nível nacional quanto mundial. Dirigido por James McTeigue (Matrix, 1999), V de Vingança (V of vendetta, 2005) é uma adaptação dos quadrinhos de Alan Moore e David Lloyd. A história situa-se em Londres, em uma sociedade distópica no final da década de 2020. Evey Hammond (Natalie Portman), uma garota da classe trabalhadora, é salva pelo mascarado V (Hugo Weaving), um carismático defensor da liberdade disposto a se vingar daqueles que o desfiguraram. Os dois desenvolvem uma interação forte enquanto, aos poucos, V conduz a um poderoso movimento de revolução.

Além de ilustrar os mecanismos utilizados por um governo para difundir o medo e controlar a massa, o filme aposta no poder do povo diante desse governo tirano e opressor. A Mídia também surge com a função fundamental de transformar os cidadãos em seres docilizados, o que faz pensar em qual papel a mídia atual desempenha em nossas próprias vidas. Além disso, o longa-metragem investe fortamente na compreensão de que ideias e símbolos podem realmente mudar o mundo.

->> Curiosidade: Tomada como um síbolo do grupo Anonymous, a máscara usada pelo personagem V é inspirada na figua histórica de Guy Fawkes, sujeito envolvido em uma tentativa de assassinar o Rei e o corpo parlamentar do Reino Unido. O Yuri Dias escreveu um texto mais detalhado sobre Guy Fawkes.

3. Donnie Darko (2001)

slmqmrcgbncpd6hn4jhb

Um filme excepcional que já foi maravilhosamente analisado por Yuri Dias, aqui no Café, em três partes: 1, 2 e 3. Escrito e dirigido por Richad Kelly, Donnie Darko (2001), encaixa-se nos gêneros ficção científica, drama e uma dose básica de horror. Conta a história de Donnie (Jake Gyllenhaal), um jovem brilhante e excêntrico. Tomado como desajustado, ele despreza a maioria dos seus colegas de escola. Donnie tem visões constantes, em especial de um coelho monstruoso o qual somente ele pode ver, que o encoraja a realizar brincadeiras destrutivas e humilhantes com quem o cerca. Um belo dia, uma de suas visões o atrai para fora de casa e lhe diz que o mundo acabará dentro de um mês. Donnie inicialmente não acredita na profecia, mas momentos depois um avião cai bem no telhado de sua casa, quase matando-o. É quando ele começa a se perguntar qual o fundo de verdade da sua previsão.

Além de explodir a sua mente com várias teorias, principalmente sobre viagens no tempo e aspectos psicológicos presentes na narrativa, Donnie Darko faz refletir sobre o entrelaçamento entre ações e consequências. Sendo bem profundo, arrisca-se também a discutir os simbolismos da Vida e da Morte, fazendo com que o espectador passe um bom tempo envolvido nessas questões. Outro de seus maiores atrativos é que, ao mesmo tempo em que há uma trama externa e complexa, há também a trama interna de Donnie, ou seja, os seus própríos “demônios” e dilemas pessoais. O Tempo, Destino e Redenção são algumas das palavras-chave dessa obra.

2. Clube da Luta (1999)

clube-da-luta

Esse filme é, literalmente, um soco na barriga. Dirigido por David Fincher (A Garota Exemplar, 2014), é uma adaptação do livro de  Chuck Palahniuk. Conta a história de Jack (Edward Norton), um executivo jovem que trabalha como corretor de seguros. Ele mora confortavelmente, mas ele está ficando cada vez mais insatisfeito com sua vida medíocre. Além disso, está enfrentando uma terrível crise de insônia. Sua vida muda quando ele encontra uma cura inusitada para sua falta de sono ao frequentar grupos de auto-ajuda. Nesses encontros, ele passa a conviver com pessoas problemáticas, tais como a viciada Marla Singer (Helena Bonham Carter) e a conhecer caras estranhos como Tyler Durden (Brad Pitt). Misterioso e cheio de ideias, Tyler apresenta para Jack um grupo secreto que se encontra para extravasar suas angústias e tensões através de violentos combates corporais.

Aclamado pela crítica, é um filme provocativo, intenso e recheado de violência. O filme joga com o espectador, colocando-o para refletir sobre a vida em uma posição de um ceticismo quase absoluto. Seu retrato é a geração dos anos 90: uma geração sem sal, vazia, sem ideias e fortemente apegada aos ideais da sociedade de consumo – ou seja, uma geração descartável (qualquer semelhança é mera coincidência!). Para fugir dessas amarras da sociedade e experimentar a verdadeira Liberdade, o longa prega que é necessário perder tudo e experimentar a Dor (do) Real. Clube da Luta te faz colocar tudo em xeque: sua vida, seu emprego, seus amigos, as coisas que você tem, aquilo que você compra, o que você pensa e por aí vai.

“Você não é o seu emprego. Você não é quanto dinheiro você tem no banco. Você não é o carro que você dirige. Você não é o conteúdo da sua carteira. Você não é as calças cáqui que veste. Você é toda merda ambulante do mundo.” – Clube da Luta

1. Matrix (1999)

20150707-matrix-1

Encabeçando a nossa lista, está Matrix (1999), dos irmãos Wachowski. O longa-metragem é considerado uma das grandes revoluções do cinema do final dos anos 90 / início de 2000 (o efeito bullet-time que o diga). Sua trama traz a história de Thomas Anderson (Keanu Reeves), um jovem programador de computador que mora em um cubículo escuro. Ele é atormentado por estranhos pesadelos nos quais encontra-se conectado por cabos e contra sua vontade, em um imenso sistema de computadores do futuro. Sempre acorda gritando no exato momento em que os eletrodos estão para penetrar em seu cérebro. À medida que o sonho se repete, Anderson começa a ter dúvidas sobre a realidade. Por meio do encontro com o mosterioso Morpheus (Laurence Fishburne) e com a bela Trinity (Carrie-Anne Moss), Thomas descobre que é, assim como outras pessoas, vítima do Matrix, um sistema inteligente e artificial que manipula a mente das pessoas, criando a ilusão de um mundo real enquanto usa os cérebros e corpos dos indivíduos para produzir energia. Morpheus, entretanto, está convencido de que Thomas é Neo, o tão aguardado messias capaz de enfrentar o Matrix e conduzir as pessoas de volta à realidade e à liberdade.

Cheio de nomes simbólicos e referências filosóficas e religiosas, Matrix põe em xeque um modelo vivido pela humanidade: está sempre “dormindo”, de olhos fechados para a realidade, sendo controlada e não tem sequer ideia disso. Pior, as pessoas pensam que possuem liberdade e o controle de suas próprias vidas. O longa-metragem é um prato cheio para horas de discussão que envolvem Física, Filosofia, Psicologia, Sociologia etc. Não é à toa que existem milhares de livros e obras com o título ou a descrição de “Matrix e a Filosofia” espalhadas por aí. Com certeza, é um filme que faz pensar sobre a Realidade em que vivemos – se tudo isso é real ou mera ilusão. Ademais, ainda cerrega as implicações sobre como a tecnologia pode intereferir ou não na vida do ser humano.

_______

Essa foi a nossa lista de 5 Filmes para Abrir a sua Mente. É óbvio que uma lista dessas tem um caráter muito pessoal, além de ter sido pensada para um público específico – ou seja, por isso não incluímos aqui diversos clássicos ou filmes cult que poderiam (e mereciam) compor essa lista. Portanto, se você tem algum filme que interesante e que gostaria que estivesse aqui, deixe nos comentários explicando porque esse filme deveria ser escolhido (quem sabe ele não encabeça a próxima lista, hein! ;D ). Também aceitamos sugestões para fazer outras listas temáticas.

Nos vemos na próxima!

  • http://cafecomwhisky.com.br Yuri Borges

    ow, que seleção bacana, ontem mesmo assisti um que poderia entrar facilmente em menções honrosas, They Live (Jhon Carpenter, 1988).

    • http://pronomeindefinido.com.br/ Ludmila Pires

      Oh, já tá anotado! 😉