Adriano Dcconi

Entrevista: Adriano Docconi

Se vocês não se lembram desse nome, alguns dias atrás foi postado na coluna de contos do café (Contos de Quinta) um texto dele – A sombra – Fui atrás para ver se conseguia mais detalhes sobre o autor, e consegui uma entrevista via email desse meu conterrâneo.

adriano doccomi

CcW: Recentemente o café publicou um de seus contos e na pesquisa para seleção de um conto, achei seu site com bastante material bom. Da onde veio a ideia dos contos curtos?

Adriano: A ideia de escrever contos curtos tão curtos foi de criar especificamente para o meio da internet, que eu considero de uma leitura mais rápida. Queria escrever contos para pessoas que estão na frente do computador e, por isso, não tem tanto tempo/paciência/vontade de ler quanto alguém com um livro na cama.

CcW: A ultima publicação do “Contos Curtos” é data do dia 25 de abril de 2012. Tem um bocado de tempo que não posta nada lá, houve alguma coisa que te impossibilitou de continuar postando?

Adriano: Acho que só falta retomar o projeto do site mesmo. Com mudanças na minha vida, fui deixando os contos diários de lado e acabei não retomando.

CcW: De onde veio a ideia do seu site?

Adriano: A ideia do site veio como um desafio. Sempre fiquei impressionado com os cronistas brasileiros, como Rubem Braga e Fernando Sabino, que conseguiam escrever grandes crônicas todos os dias nas páginas dos jornais. Decidi então criar o site e ver se eu conseguiria fazer algo parecido. Por isso, se você ver as primeiras entradas, eu postava um conto por dia, às vezes até dois. Depois de quase um mês mantendo esse ritmo, eu julguei que o desafio estava cumprido e passei a publicar apenas quando tinha alguma ideia que queria colocar no papel.

CcW: É bem complicado condensar em poucas linhas uma ideia em um conto, como é a construção dos contos curtos?

Adriano: O começo é igual o de um conto normal, tenho que pensar em uma ideia inicial. Então tenho que pensar no que desejo passar com o conto. Como tenho pouco tempo para desenvolver, preciso imaginar qual a forma mais rápida e concisa de falar o que eu quero. Muitas vezes, penso em uma história completa e vejo que a melhor forma de fazer é começar a contar do meio e ir direto para o final. Às vezes, a única coisa que vai para o site é o final de uma história que teria sido bem maior.

CcW: Tem algo que está trabalhando no momento? Similar aos “Contos Curtos”?

Adriano: Eu trabalho como redator publicitário, então, de certa forma, tudo o que eu faço é similar aos Contos Curtos. Tenho que pegar uma informação do cliente e pensar na melhor forma de passá-la em um filme de 30 segundos ou em uma frase conceito, em um anúncio.

CcW: Pensa em continuar escrevendo?

Adriano: Sempre. Tenho a ideia de tentar publicar um livro de, claro, contos curtos. E continuar postando pontualmente no site.

CcW: Além dos contos, existe um outro trabalho que participa ou participou?

Adriano: Atualmente tenho tido muitos trabalhos reconhecidos na área de publicidade. Sou o redator mais premiado do mundo no ranking atual da revista alemã Luezer’s Archive, uma das publicações de publicidade mais reconhecidas do mundo. E no último Festival Iberoamericano El Ojo de Publicidade, tive uma campanha finalista e uma medalha de prata.

CcW: Para finalizar, mande um recado para os nossos leitores e aspirantes a contadores de história.

Adriano: Escrevam sempre. A técnica vem com o tempo, a paixão tem que vir de você.

 

______________________________________________________

Fiquem ligados que em breve terá mais textos dele aqui no site, e se quiser dar mais uma olhada no material que ele disponibilizou no site, pode acessar aqui.