maxresdefault

O Exterminador do Futuro: Gênesis

Hasta la vista, baby. Old, but not obsolete.

 

Realmente é um pouco cansativo retomar o tema das grandes franquias do cinema, que vira e mexe são revividas – em sua maioria, apenas para faturar com as bilheterias, sem se preocupar muito com a qualidade das obras produzidas. Assim, mais uma vez estamos diante das continuações intermináveis e o assunto da vez é “O Exterminador do Futuro”, franquia lançada por James Cameron  (Avatar, 2009) e que ajudou a consagrar o ex-governador astro Arnold Schwarzenegger. Agora, ela ganha seu quinto filme: “O Exterminador do Futuro: Gênesis” (Terminator Genesys, 2015). Pois bem, e lá vamos nós!

arnold-Schwarzenegger-O-Exterminador-do-Futuro-genesis2

Dirigido por Alan Taylor (Thor: The Dark World, 2013) e com roteiro de Patrick Lussier e Laeta Kalogridis, O Exterminador do Futuro: Gênesis traz em novamente para as telas a resistência contra as máquinas comandada por John Connor (Jason Clarke), no ano de 2029. Ao descobrir que a Google Skynet enviou um exterminador ao passado para matar sua mãe, Daenerys Targeryen Sarah Connor (Emilia Clarke), John envia o seu braço direito, o soldado Kyle Reese (Jai Courtney), para o ano de 1984. Até aí a história é conhecida, certo? Pois bem, só que Reese não esperava encontrar uma Sarah Connor super guerreira, toda trabalhada no estilo Lara Croft, que tem como protetor outro exterminador T-8000 (Arnold Schwarzenegger) – que foi enviado para protege-la quando ela era criança. Por quem? Sabe-se lá.

As cenas iniciais de Gênesis são interessantes, com uma ambientação de um mundo pós-apocalíptico bem detalhada. Tudo parece correr bem, até a Resistência humana tentar invadir Skynet e acontecer o que se espera: um exterminador ser enviado para o ano de 1984. O problema reside naquilo que não era de se esperar, nem mesmo a imaginação mais fértil.

Como o trailer já havia dado spoiler de quem seria o vilão, não é muito surpreendente ver John Connor ser lobotomizado logo no início do filme. O que é realmente inusitado é que seu personagem é alguém que fala muito e sem necessidade. Um verdadeiro tagarela que faz as vezes de vilão. Já o casal Reese e Sarah Connor não funciona muito bem, carecendo de química e entrosamento. Jai Courtney traz um Reese insosso e para Emilia Clarke falta aquele gás de super-mulher de filmes de ação.terminator

Como sempre, Arnold Schwarzenegger tem o arcabouço de falas bem reduzido, o que não faz tanta diferença para seu personagem. O problema é que fica a cargo do mesmo fazer algumas tentativas de ser o alívio cômico do longa-metragem. Infelizmente, nem mesmo o sorriso e os chistes simples do modelo T-800 parecem ser capazes de salvar o longa de ser taxado como um filme indigesto. Mesmo que as cenas de ação sejam bem conduzidas por Alan Taylor, há algo que incomoda e torna cansativo as cerca de duas horas de filme: a argumentação do longa.

As teorias sobre a viagem no tempo e dimensões espaciais que permeiam e são “a alma” de Gênesis se misturam, se perdem, criando uma massa confusa de pressupostos e ideias. É um eterno vai-volta que é capaz dar um nó na cabeça. Esse ir e vir que se dá entre 1984 e 2029 traz uma impressão de que tudo o que se passou nos outros filmes não passou de realidades alternativas. No geral, o que se almeja é fazer com que existam pontas soltas para posteriores continuações – o que ficou óbvio, pois há uma cena pós-créditos (então fique na poltrona!).

exterminadorfuturot800original-420x325

Em resumo, este consegue ser, ao lado do quarto filme (Terminator Salvation, 2009), um dos piores filmes da franquia. Nem mesmo a batalha entre os Schwarzeneggers (graças ao poder da tecnologia, digam amém) chega a ser tão empolgante. Assim, novamente retorna-se para as velhas discussões sobre se realmente vale a pena reviver certos filmes. Às vezes, o melhor que se tem a fazer é deixar as franquias de sucesso em seu lugar. É mais seguro.

Nota CcW: 06/10.

terminator-genisys-poster

Ficha Técnica – O Exterminador do Futuro: Gênesis:

Título Original: Terminator Genesys. Direção: Alan Taylor. Roteiro: Laeta Kalogridis, Patrick Lussier. Produção: David Ellison, Dana Goldberg. Produção Executiva: Bill Carraro, Megan Ellison, Laeta Kalogridis, Patrick Lussier, Paul Schwake. Elenco: Emilia Clarke, Jai Courtney, Arnold Schwarzenegger, Aaron V. Williamson, Jason Clarke, Matt Smith, Byung-hun Lee, Teri Wyble, J.K. Simmons, Sandrine Holt, Douglas Smith, Courtney B. Vance, Miles Dyson. País: EUA. Gênero: Ação. Distribuidora: Paramount Pictures.